.

Loading...
.

.

.

domingo, 30 de Maio de 2010

Carta de amor de autor desconhecido

Existem momentos em que é-me difícil expor tudo o que me vem na mente e na alma, apesar e sentir uma enorme necessidade de o fazer com muito mais frequência, mas sem cair no erro da rotina que não tem interesse nenhum.

Quando escrevo, estou só eu e o meu pensamento, livres de interrupções desnecessárias que perturbam o fio condutor da lógica, num espaço de tempo que é indeterminado.

Não há nada mais satisfatório que os bons momentos que passamos juntos. Foste tu que me fizeste sentir leve, verdadeiramente feliz e realizada. E quando tu desejas isso para mim, a concretização é momentânea. É essa sensação que me alimenta com energia, amor, paixão e vontade de viver com esse sentimento para sempre. Por mais incrível e impossível que possa parecer, eu vou sempre procurar manter a paixão que sinto por ti, que veio a crescer cada vez mais com o passar do tempo.

Ninguém é perfeito! E com isso quero pedir-te desculpa pelos momentos em que te faço perder certa paciência; pelos momentos de maior fragilidade que faz com que interprete mal as tuas brincadeiras inofensivas; e por não conseguir fazer com que partilhes comigo não só os bons momentos, mas também os menos bons.

Às vezes sinto-te tão distante e eu sinto-me incapaz de te alcançar… e isto magoa-me… e assim caem-me umas lágrimas sem as poder controlar, mas para dar a volta por cima, não há nada melhor do que recordar os imensos e maravilhosos momentos de amor e carinho juntos.

Estas lembranças curam os pensamentos menos bons e fazem-me sorrir de novo e fico com vontade de te abraçar fortemente, mas às vezes não estás perto para o poder fazer. E assim adormeço a beijar a aliança e a pensar em ti quase todas as noites quando não estou contigo. Acho que nunca te contei, mas é verdade. No dia a seguir, acordo ansiosa para vir ter contigo a correr e, quando te vejo, os lábios sorriem descontroladamente com paixão.

Para mim, o olhar, o sorriso e o teu toque são mais importantes do que qualquer outra manifestação. Por vezes faço aquilo que gostaria que me fizesses, outros, penso ao contrário, procuro fazer aquilo que me fazes pela mesma lógica, a pensar que é o que tu pretendes receber de mim.

Quando te acarinho a cara ou o cabelo é porque quero sentir a tua pele, a tua energia, o teu calor, mas também pode ser uma maneira de manifestar desejo do mesmo acto da tua parte.

Quando tu me tocas, seja a mão ou a face, o teu toque parece irreal, pois é tão desejado que parece provocar um curto-circuito em todos os meus sentidos, faz arrepiar e a palavra que me vem sempre a cabeça é “finalmente”… e assim enches-me de amor. É precisamente desse amor que necessito para recarregar a bateria viciada. E só tu és capaz de o fazer! É só a ti que eu quero para o resto da minha vida, recebendo e dando muito amor, carinho, paciência, honestidade, respeito e partilha total. É contigo que quero ter muitos filhos lindos! É contigo que quero fazer e dar todos os passos desta caminhada que desejo muito feliz.

Eu faço tudo por nós, aliás o meu sonho é conseguir ser uma “super-mulher” conseguindo fazer e dar tudo por tudo com a condição de me recarregares as baterias como só tu sabes fazer.

És feliz comigo? Queres ser ainda mais?

Fica comigo, meu amor!


Sem comentários:

Enviar um comentário